quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Schall Gay #31 - Porque Eu Decidi Parar de Pintar o Cabelo de Azul

Esse post tem trilha sonora. Da o play no video abaixo e ~vem, comigo!~


Jogando limpo com você o que acontece é que a minha preguiça de cuidar do meu cabelo é algumas vezes maior do que a vontade de manter os fios azuis. Como já é sabido, não da pra ter cabelo em cor fantasia sem descolorir o coitado antes, a não ser que você tenha nascido platinada. Eu usei azul de metileno e violeta genciana, dois antissépticos, pra chegar no tom que eu queria, mas o que danifica o cabelo é o processo de descoloração. Pra entender como eu fiz as minhas mechas azuis clique aqui. A intensão desse post é falar sobre as consequências das mechas.

. Cuidados
O que mudou na minha rotina de cuidados com o cabelo foi a substituição de condicionador normal por uma máscara de hidratação, uso mais frequente de ampolas de recuperação e hidratação e uso constante de ativador de cachos. E eu parei de usar o shampoo antiresiduos já que ele ia colaborar pra que o azul desbotasse mais rápido.
Como já comentei em vários posts, o shampoo seco também virou meu amigo já que eu conseguia lavar o cabelo menos vezes na semana fazendo uso da magia do spray de shampoo seco e evitando algumas lavagens que contribuiriam pra que a cor saísse mais rápido.


. Vantagens e Desvantagens do Azul de Metileno e Violeta Genciana
Em uma pesquisa rápida vi que um potinho de uma das tintas fantasia mais famosas está ultrapassando os R$60,00. Enquanto a compra de um vidro de azul de metileno e de violeta genciana não ultrapassa os R$15,00 e dura mais do que os tonalizantes normais. Eu senti necessidade de retocar a cor fantasia somente uma vez por mês. O ponto negativo é que a variedade de cores se resume a duas opções: azul e violeta.


. Consequências
Além de fios azuis e a vontade constante de tirar selfies e vomitar arco-íris, essa empreitada também deixou meu cabelo seco e eu descobri o que são "fios elásticos", em uma escala bem reduzida, mas ainda assim, não foi legal.
Toda vez que eu ia pentear o cabelo eu tinha que lidar com nós próximos a nuca que exigiam mais tempo pra que eu conseguisse desfazê-los sem tirar um tufo de cabelo junto. Também tive um aumento considerável na queda dos fios e, consequentemente no frizz.

"Se o meu cabelo está ruim eu vou simplesmente tentar esconder o cabelo"

. Conclusão
Valeu a pena? Hell yeah, girl! Eu fiquei uns dois ou três meses só ponderando se eu deveria fazer as mechas ou não porque eu sabia que a descoloração ia modificar o meu cabelo e ia ficar mais difícil cuidar dele. Além, é claro, das implicações sociais de se ter cabelo azul. Sou uma pessoa muito feliz por trabalhar numa área que me permite fazer esse tipo de coisa.
Mas quando eu, finalmente, decidi passar pela mudança, foi incrível! Matei a vontade, me senti linda e estilosa e acho que a gente não deve se negar esse tipo de sensação não é mesmo?

"Se chama ser FABULOSO!"

Felizmente eu não posso reclamar do meu cabelo. Como nunca tive trabalho com ele, não estou acostumada a perder muito tempo cuidando do bonito e também não tenho vontade de começar a perder tempo com isso. É única e exclusivamente por esse motivo que eu decidi deixar o azul na memória e voltar a cor original do meu cabelo, afinal eu venho experimentando coisas diferentes nele há vários anos e talvez esteja mesmo na hora de deixar o coitadinho respirar.

Amei a experiência de ter cabelo azul de novo e se você quiser (e puder) fazer o mesmo, eu recomendo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Google+