domingo, 13 de setembro de 2015

Maze Runner - Prova de Fogo: O Filme

Antes de mais nada gostaria de agradecer ao universo e a Pah Trombetti pela graça alcançada: uma pulseirinha que garantiu uma poltrona pro meu popô se acomodar na pré estreia de 'Maze Runner - Prova de Fogo', com a presença da Kaya Scodelario (Teresa) e Giancarlo Esposito (Jorge).


A pré estreia aconteceu no dia 01 de setembro em São Paulo e, Kaya e Giancarlo levaram uma multidão de adolescentes (e variações) pro Conjunto Nacional. Eu chuto que a organização do evento não botou fé no movimento que o filme causaria e por isso foi no Conjunto Nacional, um lugar de fácil acesso e salas de cinema pequenas. Não que isso tenha abalado a maravilha que foi ter dois atores do elenco aqui e ainda poder ver o filme em primeira mão. Tudo foi extremamente tranquilo e deu pra ver o pessoal da organização se preocupando com a segurança dos atores e de quem foi lá pra tentar dar um oi pra eles.

Antes do filme começar os dois foram da um oi bem rapidinho em todas salas, mas já foi o suficiente pra eu ficar babando no quanto a Kaya é linda e fofa e na energia positiva do Giancarlo. Destaques pro português acaipirado e maravilho da Kaya ("Brigado por cêis vim" <3 <3 <3 <3).

Agora sobre o filme, meus amigos... dos seus 129 minutos de duração eu devo ter ficado uns 100 sem respirar. Sem exageros! Pra refrescar a sua memória, aqui tem a resenha que eu fiz sobre o primeiro filme. Mas a treta é a seguinte, depois de saírem do labirinto e serem "resgatados", a galera da clareira tem que enfrentar o mundo real. Mundo este que foi afetado por explosões solares transformando a Terra num grande deserto com meia dúzia de gatos pingados, sendo que grande parte dessa galera que sobrou foi afetada pelo Fulgor, um vírus que, aos poucos, transforma o ser humano em um Crank, uma espécie de zumbi.


Todos os momentos engraçados e leves que estavam presentes na adaptação do primeiro livro, sumiram em 'Prova de Fogo'. Tiveram horas que eu nem conseguia rir das piadinhas de tão tensas que eram as cenas. A ação não tem fim! Quando ta tudo muito tranquilo e parece que as coisas vão dar certo é só esperar que já já o pessoal da clareira vai ter que sair correndo por algum motivo. Aliás o fato de eles estarem a pé e sozinhos a maior parte do tempo, no meio do enorme deserto que a Terra virou, é angustiante. Então se não tem ação, tem angústia! Olha só que combo maravilhoso!

Acho que a ~grande novidade~ desse filme são os cranks, que aparecem em diferentes estágios da transformação ("estágios de decomposição" também serve), mas todos igualmente bizarros e assustadores. Em algumas cenas a gente só escuta os bichos se aproximando com aquela respiração horrenda de zumbis e só isso já é apavorante. Se você tem problemas com zumbis, já fica a observação pra estar preparado com esse pessoal novo que chegou no pedaço.

Pra quem leu o livro a minha dica é: desapega. O clima do livro está lá, a maioria dos personagens também, mas muita coisa mudou e isso fica claro logo no começo do filme. Vi na tela algumas das cenas que me marcaram, mas os grandes acontecimentos e as motivações dos personagens mudaram. Só que o filme foi tão bem produzido, as atuações estão tão lindas e os personagens continuam tão estupidamente maravilhosos e cativantes, que tudo compensa. No meu coraçãozinho, a história "de verdade" ainda é a do livro, mas o filme trouxe toda uma nova ambientação e grandiosidade que eu não sentia antes.

Ta valendo extremamente a pena ir conferir essa maravilha no cinema e rever toda a galera da clareira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Google+