segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Não Confio em Gente que Não Lê #15 - Dragão Vermelho

Não sei se já contei por aqui, mas eu li de trás pra frente a série de livros do Thomas Harris sobre Hannibal Lecter e a sua tchurminha. No amigo secreto da equipe em que eu trabalhava em 2012 (se não me engano), eu ganhei o terceiro livro, 'Hannibal' e como não tinha os outros e na verdade nem sabia da existência de 'Dragão Vermelho' na época, comecei por ele mesmo.

Aí você já deve imaginar o desenrolar da coisa: eu gostei (muito) do livro e fui em busca de 'O Silêncio dos Inocentes' que é o segundo e mais famoso título da série que deu nome ao filme com Anthony Hopkins e Jodie Foster, mas foi só depois de ler 'O Silêncio dos Inocentes' que eu descobri que ele ainda não era o primeiro livro, que na verdade é 'Dragão Vermelho', o qual eu finalmente li, motivada pelo Desafio Literário do Tigre que tinha a categoria "livro de suspense" na sua lista.

O livro narra os passos de um assassino que se intitula como Dragão Vermelho e vai em busca de famílias para satisfazer os desejos da sua personalidade assassina. Pra ajudar a solucionar o caso, o agente Crawford vai em busca do, então afastado, Will Graham, já que acredita que só com o auxílio do Will eles serão capazes de parar o Dragão e salvar as famílias.


Como eu assisti às duas primeiras temporadas da série Hannibal e amei absolutamente tudo sobre ela, aproveitei o livro com muito mais entusiasmo do que eu esperava. Mas acabei "jogando fora" as descrições que o autor fez dos personagens e imaginando os atores (porque eu aposto que o Thomas Harris não imaginou um Will Graham tão gatinho quanto o Hugh Dancy). Mas a descrição física da galera não é nem de longe algo importante pro desenrolar da história.

A prsensença do Hannibal é sempre tensa. A gente sabe que ele e Will já tem um histórico e que o Hannibal causou algum estrago na mente dele, mas não sabemos exatamente porque e isso só deixa a relação deles mais interessante. A tensão fica clara na maneira como Will está sempre escolhendo as palavras perto do dr.. Porém esse livro finalmente fez com que eu me perguntasse como o personagem se tornou tão famoso sendo que ele é parte central da história só no terceiro livro e atua como coadjuvante no restante deles. O Dr. Lecter quase não aparece nas páginas, mas a a sua presença é extremamente aguardada. É interessantíssimo tentar entender como ele pensa e, novamente, porque ele virou um ícone.


Aquele clima de urgência e ansiedade da proximidade do clímax que, na maioria dos livros começa a acontecer depois da metade e mais perto do final, nesse livro começa a rolar antes da metade. A proximidade do assassino dos personagens que a gente gosta e quer proteger é constante e aterrorizante. E o fato da gente conhecer o assassino e acompanhar as suas ações, sem ter nem ideia de como o FBI vai conseguir encontrar o seu rastro e seguir o seu padrão de comportamento, só aumenta a ansiedade pela resolução da coisa.

A maneira do Will pensar é bem mais realista no livro do que na série. Fica claro que ele funciona com empatia, ele precisa se importar com as vítimas pra conseguir encontrar uma solução pro caso. É sensacional ver como ele trabalha e acompanhar os seus dramas pessoais.

Mais uma vez Thomas Harris me surpreendeu, me deixando ainda mais interessada pela história e pelos seus personagens tão absurdamente bem construídos.

Você pode comprar 'Dragão Vermelho' clicando aqui.
No Desafio Literário do Tigre, 'Dragão Vermelho' se encaixa na categoria "Livro de Suspense".

2 comentários:

  1. Oi, adorei sua resenha! Não assisti o filme nem a série, mas tenho muita vontade de ler esses livros.

    ResponderExcluir
  2. Oii, Ligia!
    Ahh, que bom q vc gostou! *-*
    O livro vale muito a pena. Apesar de ter gostado bastante do filme e ainda mais da série, o livro é sempre melhor! :x haha!!

    bjbj

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Google+