quarta-feira, 3 de julho de 2013

Novo Amor: My Mad Fat Diary


Há alguns meses, assisti a esse video, no qual, para exemplificar o que sente quanto a ser feia, Kara me informou da existência de uma série britânica, chamada 'My Mad Fat Diary' e deixou a mão um link com o primeiro episódio completo da série. Fiquei curiosa, mas salvei o link e ficou por isso mesmo.
Mas na última semana, não sei por qual motivo, decidi abrir o link de novo e ver qual é a desse tal seriado.
A história se passa na década de 1990 (a grande banda do momento na série é Oasis s2) e começa quando Rachel Earl, a Rae, uma obesa de dezesseis anos de idade, depois de passar quatro meses numa clínica de reabilitação, fazendo terapia e tomando antidepressivos, finalmente se ve livre daquele lugar, reencontra a sua melhor amiga, Chloe e tenta se inserir novamente na sociedade. Ser adolescente não é fácil e a gente sabe disso, e ser uma adolescente obesa, que não consegue enxergar praticamente nenhum ponto positivo em si mesma, é ainda mais complicado.
A série cativa pela mente divertidíssima e absurdamente sincera de Rae e pela realidade dos fatos. Nada no estilo Glee onde a Mercedes pega o Sam como se isso acontecesse assim, bem fácil e o tempo todo; uma obesa conquistar o cara mais desejado do pedaço. Não! Nada disso. Rae acaba sendo iludida por um garoto, tem de conviver com a inveja que sente pela sua melhor - linda, magra e desejada - amiga e se concentrar em não surtar de novo. Isso tudo com uma mãe bem desligada que só se importa com o novo namorado que arranjou enquanto a filha estava na clínica e um pai ausente desde que Rae nasceu.
Parece tenso né? Mas é apaixonante! A primeira temporada tem apenas seis episódios, mas que são perfeitamente suficientes pra que cada personagem consiga te encantar. Desde o novo grupo de amigos dela, até o seu terapeuta e alguns amigos da clínica. Impossível não amar todos eles. A evolução da história é incrível e nem um pouco apressada.
'My Mad Fat Diary', tem um que de comédia com os textos que Rae escreve em seu diário, romance adolescente, e até um triângulo amoroso mais pro final da temporada e um pouquinho de drama graças as crises internas da personagem principal.
Nem preciso falar que o meu nível de identificação com quase todas as paranóias de Rae foi ridiculamente alto. Mas não precisa passar exatamente pelas mesmas situações que ela pra gostar da história. Recomendo do fundo do meu coração, inclusive com um ciuminho pelo fato de a série não ser muito conhecida ainda aqui no Brasil, mas this bird was meant to fly way, então, vem comigo amar essa série linda, que, álias, foi renovada pra segunda temporada.
E a parte legal daquele link que eu comentei no começo do post, é que ele já tem legendas em português, é só habilitar no player do YouTube clicando no ícone que parece uma caixa de texto, que está entre o ícone de um balão (pra ativar as anotações) e o ícone de configurações. Aqui tem a lista de reprodução com todos os seis episódios da primeira temporada.
E pra você ter ainda mais certeza de que é estupidamente fácil amar essa série, no site do canal, na parte reservada para ela, é possível encontrar contatos pra quem está passando por problemas parecidos com os da Rae e precisa de ajuda. Desde automutilação, até distúrbios alimentares e bullying. Muito, muito amor.
Vem, gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Google+