segunda-feira, 1 de julho de 2013

Bandas que Você Talvez não Conheça #6 - Teko Porã

Sexta-feira a noite, iludida por um post feito no grupo do facebook da minha faculdade que dizia que os ônibus disponibilizados para os alunos em dias de aula, passariam normalmente pelos mesmos pontos no dia da festa junina pra que todo mundo conseguisse chegar, fui pra estação Vila Madalena esperar o ônibus. Dez minutos depois do horário que ele normalmente passa, me convenci que devia ter havido um engano ou mudança de planos que não foram avisados, ou passaram despercebidos por mim, então, me encaminhei de volta pra estação pra pegar o metrô e voltar pra casa sem festa junina nenhuma. Mas na porta da estação vi um pequeno grupo de pessoas começando a se formar ao redor de cinco músicos.
Eu ia parar na porta da estação de qualquer jeito, pra avisar quem precisava saber, que eu não ia mais pra festa, então aproveitei pra escutar as músicas, mas mesmo depois de ter enviado todas as mensagens, não conseguia sair de lá, afinal eles ainda estavam tocando. Então achei um lugar melhor entre as pessoas (que começaram a se aglomerar ainda mais e mais rapidamente), separei as moedas que tinha a mão, joguei na capa do violão que estava aos pés deles e fiquei por lá, gravando algumas das músicas que escutei.
Dois violinos, um violão, um bandolim, um guitalele e muito, mas muito talento. Não era a toa que quem passava, acabava parando, nem que fosse só por alguns minutinhos pra não perder a hora. A descrição no facebook dos caras é a seguinte: "Cigano. Latino. Afro-euro-índio" e o nome da banda significa, segundo um dos membros, em tupi guarani, amor a vida. Mas em uma rápida pesquisa no google, descobri a filosofia Guarani do "bem viver" que leva esse mesmo nome, saiba mais clicando aqui.
"Pablito" (que estava tocando violão), me contou que eles estão juntos há seis meses e além das músicas que eles tocaram naquele dia, também tem outras com letras escritas pela Marília (guitalele) mas que não é viável pra eles tocá-las nessas apresentações. Ele também falou da Léa (violino) que é da França e está com eles há dois meses. Além de Juan (bandolim) e Hefestus (violino), que antes, formavam um trio com Pablo, antes das meninas se juntarem a eles. Pra conferir o trabalho dos caras ao vivo, vai muito da sua sorte de passar pelo lugar certo na hora certa, como eu tive a felicidade de fazer, mas eles tem uma página no facebook, que você pode ver clicando aqui, e eu deixo a minha torcida pra que eles anunciem por lá onde vão tocar nos próximos dias pra que eu tenha, mais uma vez, o prazer de escutar o trabalho impecável deles.
Abaixo deixo a junção dos três vídeos que fiz com o meu celular.

4 comentários:

  1. Encontrei este grupo no sábado passado (27/07/2013) tocando na Rua Augusta. O som encanta os transeuntes e estanca o passeio com suas melodias ciganas. Uma pequena multidão assistia. Hoje pela manhã (30/07/2013) "trombei" com eles também no Metrô da Vila Madalena. Muito bom começar o dia com esta energia e esta harmonia musical. Será que eles disponibilizam suas músicas pela net?

    ResponderExcluir
  2. É exatamente isso, Ricardo! Impossível não parar uns 5 minutinhos pra escutar os caras.
    Mas o máximo que eu encontrei por aí foram gravações de transeuntes mesmo, infelizmente. Da vontade de fazer uma vaquinha online pra ajudá-los a gravar o material em algum estúdio né?

    ResponderExcluir
  3. Olá. Encontrei com eles hoje na vila madalena, e comprei o EP deles com 5 músicas. É incrivel :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, que demais, Richard :D
      Faz tempo q quero tentar encontrar com eles de novo pra comprar o EP também. Deve valer muito a pena *-*

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Google+